30.4.16

Reflexão (im) perfeita sobre a minha im (perfeição)



Aham, eu nasci pra ser real, não pra ser perfeita.
E ser real implica em ser realmente o que se é, e eu faço questão de não passar adiante uma imagem contrária àquilo em que eu acredito. No que acredito? Well... Eu acredito que vestir a pele de outra pessoa, não faz com que me sinta melhor ou mais satisfeita comigo, nem mais inteligente, nem mais bonita, nem mais sagaz, nem mais feliz. Por isso, todos os dias, me visto de mim mesma e cuido da minha vida, tentando não deixar brecha pra abelhudos pensarem que podem invadir meu espaço, minha vida e me metralharem com opiniões pelas quais eu não pedi. Posso até dar um Ctrl v - Ctrl c numas frases de efeito no meu Twitter, porém é crucial que eu saiba o real significado daquilo, ou estarei assinando meu pp atestado de idiotice. N-Ã-O-R-O-L-A!!! 


Tranquila


Eu não sou a dona da verdade, nada me deixa acima do bem e do mal, não possuo o dom da palavra, nem permissão pra exercer a presunção. É só que, o que preciso dizer, digo. Acredito que escolher ser eu mesma, foi e sempre será a melhor coisa que eu posso fazer na vida. Isto sim me faz sentir o prazer legítimo de viver! Ser eu, combina com liberdade, com dizer o que penso, o que sinto. Combina com estabelecer os limites que, você, poderá ou não ultrapassar, de acordo com a minha vontade. Combina com descordar da sua opinião, sem medo de que vá sentir-se ofendid@ e vice-versa. Combina com ser e estar livre para ir e vir, praticar meus desejos, me reinventar em qq momento da vida, arriscar, me jogar! 

Perfeição (não) tem a ver com tanta coisa...Tem a ver com alcançar as maiores pontuações, mas receber um 2º lugar num concurso de bandas não faz de mim imperfeita; Tem a ver com ser uma super mãe, mas alterar o tom da minha voz ao chamar a atenção da minha pequena de vez em quando, não faz de mim imperfeita; Tem a ver com ser bela, mas ter olhos castanhos e curvas, não faz de mim imperfeita. Tem a ver com ser boa dona de casa, mas errar na mão do sal uma vez ou outra, também não faz de mim imperfeita! 
Ser perfeita tem a ver com ser S-U-F-I-C-I-E-N-T-E-M-E-N-T-B-O-A-E-I-N-F-I-N-I-T-A-M-E-N-T-E-C-H-A-T-A! Por isso eu curto demais ser imperfeitamente perfeita, pois dentro da minha concepção da palavra, sou perfeitinha pra mim e, nunca fora de mim mesma, poderia ser mais feliz! 

Rockiss!!!











30.3.16

Evolução - Que assim seja e assim se faça!

   Ontem, dia 29, troquei de idade. Passei em casa, junto com a pequena, meus pais e as meninas. Dia normal, parecia até que nada estava acontecendo, mas estava. Dentro de mim acontecia uma revolução. Emoções me rondavam. Minha mente fervilhava. Tudo isso pq, há um tempo, venho pressentindo algo muito bom em relação ao futuro.

   Já faz um tempo que não perturbo à mim mesma com pessimismos sobre a minha vida. Não que eu tenha aprendido a jogar o jogo do contente, não é isso e, sendo sincera, acho esse jogo meio chato pq te impede de viver o que você precisa, de fato, viver. Sufocar emoções não é comigo. A questão é que aprendi, de forma definitiva, que ser otimista faz muito mais sentido.

Evolução. Se eu puder escolher uma palavra pra definir o que tem acontecido por aqui (por dentro), é essa! Eu realmente sinto que tô mudando pra melhor, mas nada tem vindo de graça, não. Tenho me esforçado muito pra que as coisas fiquem bem e fluam. Óbvio que nem tudo dá certo sempre, mas aí é que tá o lance. Hoje, lido muito melhor com perdas, planos que não dão certo, ansiedades, esperas. Me sinto uma guerreira vitoriosa por isso!

Bem, eu nem ia postar nada sobre o meu aniversário por preguiça, ha! Nada a ver. Datas assim existem para serem lembradas e celebradas com carinho, então, por que não, né???

"Sou agradecida pela pessoa que eu era. Aprendi algumas coisas com ela. Muitíssimo feliz e super apaixonada pela mulher que sou hoje. Foi uma guerra difícil, mas eu venci! Minha vida segue e, por isso, continuo bastante curiosa pela pessoa que ainda posso ser.
Que nunca falte amor próprio e coragem pra continuar sorrindo quando tudo parecer desabar, humildade pra aceitar quando não estiver certa e, fé na vida pra continuar caminhando, mesmo quando o mundo me disser não."

Que assim seja e assim se faça!


Rockiss!!!






























24.2.16

Elevando os critérios


   Hoje eu sei que, pra encontrar um grande amor fora de mim, necessariamente preciso ser/estar muito bem relacionada comigo, envolvida por mim mesma, mas nem sempre foi assim...

   Eu costumava me relacionar com todo tipo de homens: machões, machistas, traficantes, desgostos de si mesmos, mentirosos, canalhas assumidos, etc. Conhecia um cara hoje e, na próxima semana, já estava completamente apaixonada e, o pior disso, é que eu confundia essas paixões avassaladoras com amor, já acreditava que seria pra sempre. O resultado disso era continuamente o mesmo: terminava mal, arrasada, deprimida e queria morrer porque acreditava que nunca mais na vida, iria encontrar um cara igual. Mal sabia eu que aquele cara e, nenhum outro, pelo menos não na fase em que estava (de falta de amor próprio), seria o grande amor da minha vida. E tudo isso por que? Porque eu não me curtia, eu não me amava.
   
   Amor próprio nunca foi um assunto falado durante uma roda de bate-papo lá em casa. Tudo o que aprendi relacionado à essa atmosfera, fui descobrindo aos poucos, através das experiências minhas e alheias também, por que não? E ainda há muito o que aprender! Mas o importante é que, independente da idade, a questão da autoestima deve ser desenvolvida na gente desde meninas. Se tivesse sido assim comigo, afirmo fortemente que teria sabido me resguardar muito mais.

   A primeira vez em que me dei conta disso foi aos 18 anos, quando me apaixonei por um cara de 23. Antes disso tive um namoradinho aos 14 anos, mas acabou tão rápido que nem vi. Muitas irão pensar que idade não tem nada a ver, mas no meu caso digo que tinha sim, partindo do princípio de que foi a minha primeira grande paixão e, até antes dos 18, eu era a típica garota que ficava a maior parte do tempo em casa e, quando saía, era com a minha mãe ou com as únicas 3 amigas da escola, sempre pra fazer algum trabalho que um professor havia pedido ou pros ensaios da banda. É óbvio que já tinha minhas paqueras, mas não passava disso. Foi nessa fase que comecei a sair mais (por conta da banda). Aí comecei a conhecer mais pessoas, a ver outras coisas, outros lugares... 
Voltando à minha primeira grande paixão, ele era lindo, olhos verdes e tinha os cabelos compridos (me abana?). Foi fácil me apaixonar! Lembro-me que, uma vez, durante o monólogo dele, de término de namoro, eu, na frente dele, abaixei a cabeça e comecei a chorar, enquanto ele falava e falava. Então, houve um momento em que, enquanto dava leves “tapinhas” no meu rosto, ele disse: - Levanta a cabeça! Você não tem amor próprio, não??? Nunca mais me esqueci.
Depois disso, é claro que tive outros muitos relacionamentos conturbados, que já começaram fadados ao fracasso por 2 motivos:

1- os caras não eram legais mesmo;
2- eu ainda tinha muito o que aprender!

1            E aprendi e mudei pra melhor. Às vezes, a onda de insegurança ainda bate, contudo a partir do momento em que eu passei a prestar mais atenção em certos detalhes, a mudança aconteceu.

   Certa vez, num escritório onde eu trabalhava, flagrei, sem querer, uma amiga discutindo com o noivo dela. Não me lembro mais o teor da discussão, mas lembro que ele insistia numa coisa que ela não estava afim e, partindo desse princípio, disse não à ele, sem pestanejar. Fiquei admirada com ela, com seu poder e, sem me conter, depois que ele se retirou, eu disse: - Achei legal a forma como você falou com ele. Queria que meu namorado me respeitasse assim. Ela disse pra mim: -Lu, é só começar! Eu tinha 21 anos (e meu namorado da época havia me agredido fisicamente por ciúme da minha música).

   

Fonte: Google


   Comecei! Nada aconteceu de repente, mas a partir do primeiro passo, fui mudando o meu posicionamento em relação aos homens aos poucos e comecei a elevar os meus critérios: 

Homem que implica com a roupa que eu gosto de usar ou com a cor do meu batom, tá fora! 

Homem que, por ser um pouco mais novo ou mais velho, usa isso como forma de me por pra baixo, tá fora! 

Homem que tenta me elogiar, insultando ex ou outras mulheres, tá fora! 

Homem que implica com o meu trabalho, tá fora! Homem que não ama a si mesmo, tá fora e, assim, sucessivamente.

   O que eu quero mostrar com esse textão, é que, não importa a idade, as roupas ou com o que trabalho. Tenho que ser respeitada, mas o respeito que desejo, devo encontrá-lo, antes de nenhum outro lugar, dentro de mim. Relacionamentos vêm e vão, porém o relacionamento  que tenho comigo mesma é o que devo preservar acima de tudo. Ninguém mais vai me amar do jeito que eu me amo, com a mesma intensidade, com a mesma cumplicidade e respeito, se eu não fizer isto antes.


E você? Me conta como aconteceu a sua mudança, quero saber! Deixa o link do seu blog pra eu visitar, tá?!
Rockiss!!!
















20.2.16

3 coisas que você deveria fazer ao acordar


   Acordar, esticar a mão até o criado mudo, pegar o celular e conhecer os mais novos perfis no Instagram, ler os últimos Tweets ou checar os e-mails. Quem nunca??? 
   
Estes são maus hábitos que muitos de nós adquirimos do mundo moderno, tecnológico. Há quem pense que, fazer estas coisas logo pela manhã, não tem nada de mais, porém acredito que hajam outras coisas, nas quais podemos focar como, por exemplo, fazer a cama ou sair pela casa abrindo as cortinas e janelas pra luz do sol entrar, que trariam momentos de puro relax e prazer pras nossas mentes e pros nossos corpos.
   
   Pensando sobre isso, montei uma listinha pequena, adaptada do blog The Edit, com coisas super saudáveis que podemos adaptar ao nosso dia-a-dia, pra obter um bom começo do dia, logo pela manhã.



1. Deixe o celular em paz! Ao invés de, instintivamente abrir a tela e já começar um dia interminável de e-mails, notícias e atualizações, cuide de você, da sua casa, tome uma xícara de café antes.

2. Alongue-se! Parece simples demais, mas fazer isso vai te ajudar a acordar seus músculos, seu sangue, alivia a tensão inicial de um dia repleto de afazeres e torna seu corpo mais flexível.


3. Hidrate-se! Você passou longas horas dormindo, sem beber sequer um copo com água. Livre seu corpo das toxinas e dê uma boa chacoalhada no seu metabolismo pelo resto do dia.

Curtiu? Você também tem uma lista de coisas boas que podemos fazer pra começar bem o dia ou uma série de bons hábitos que podem melhorar a vida? Conta pra mim! Deixa o link do seu blog ai que eu quero ler!


Rockiss!!!





18.2.16

Erros que não quero cometer em 2016

   Com certeza eu tenho uma pequena lista de coisas que não quero que aconteçam nem neste ano, nem nunca mais na vida e, óbvio, como uma boa fazedora de listas que sou, precisava fazer mais essa.
  
   Não posso afirmar se isso é uma falha da humanidade, mas sim, posso e afirmo que é uma falha minha, me repetir; nas coisas que não deram certo, nos relacionamentos que já começaram fadados ao fracasso, na teimosia em querer modificar o que não cabe a mim modificar e, claro, nos milhares objetivos que permaneceram na esfera mental, na folha de um caderno velho que foi terminar seus dias numa gaveta qualquer...

   Se tem uma coisa que me causa angústia é pegar agendas antigas e me deparar com listas de objetivos e planos que tracei, mas que não realizei naquele ano, por motivos que não vou me lembrar, e me dar conta, no final do ano seguinte, de que, daquelas listas, absolutamente nada ou muito pouco, foi realizado. A sensação de FRACASSO+MEDO é aterrorizante. Isso sem falar das sabotagens que cometi contra mim mesma durante todos estes anos nos âmbitos profissional, emocional e social. Percebi que começava protelando pequenas atitudes e, quando resolvia acordar, o tempo havia passado mais uma vez.
Em algum momento eu precisava retomar as rédeas de todas as áreas da minha vida, né?!

   Pensando sobre isso, aí está a lista de erros que não quero cometer em 2016:


-Dispensar atenção demasiada às pessoas:
Definitivamente ativei a tecla STOP, ao mesmo tempo em que ativo a SELF RESPECT. Dizem por aí, a altas vozes, que não devemos esperar pelo retorno, mas numa boa, às vezes é bom saber que, a pessoa está para você, o quanto você está para ela.
Feedback é fundamental.

-Protelar:
Porque, né? Já fiz muito isso e tudo o que consegui foi permanecer estacionada.

-Iniciar um relacionamento fracassado:
Ás vezes penso que é coisa feita, dedo podre, mas não é! Tá tudo ali, na minha frente, basta eu olhar e dizer "não." O amor que julgo merecer, está muito além desse ciclo vicioso ao qual estive presa por muito tempo: conhecendo alguém-enxergando que não iria rolar-insistindo-me desgastando-terminando-voltando, pra começar tudo outra vez e, sem nenhum sinal de melhoria. Chega!!!

-Por em dúvida minhas capacidades:
É o momento de tapar os ouvidos pras críticas aniquiladoras e seguir em frente. Meus sonhos não são descartáveis e fazem parte de mim como um todo. Meus dois pés estão apoiados nos caminhos que traço e minha mente, obstinada.

Viu? Eu disse que era pequena, porém todos os itens dela são cruciais pra minha nova boa vida, pra mais um recomeço!
Enfim, essa é a minha lista de erros que não quero cometer em 2016 nem nunca mais.
Você também tem uma lista como a minha? Deixe seu comentário e o link do seu blog que eu quero ler!


Rockiss!!!